OS 7 PONTOS CHAVE PARA CONSEGUIR O FINANCIAMENTO DA CAIXA

Conseguir um financiamento da Caixa e sair do aluguel é o sonho de muita gente. 

O banco se tornou um dos mais procurados por pessoas interessadas em crédito imobiliário porque oferece condições diferenciadas e prazo amplo para pagamento.

Segundo um levantamento do setor, a Caixa Econômica Federal está entre os cinco grandes bancos mais procurados da atualidade. 

Isso porque ela tem as taxas de juros mais baixas do mercado, sendo muito vantajosa para diferentes perfis de famílias. 

Neste artigo, vamos detalhar alguns pontos essenciais para você conseguir um financiamento da Caixa

  1. Valor do imóvel e do financiamento

Atualmente, a Caixa Econômica Federal financia até 80% do valor de um imóvel usado. Para imóveis novos, o banco pode liberar até 100% do financiamento

Mas, para conseguir o crédito, a instituição faz uma avaliação detalhada da vida financeira do cliente a fim de liberar um financiamento que esteja de acordo com seu perfil. 

Ou seja, o valor da sua carta de crédito vai depender da sua renda e do tempo que você deseja parcelar o financiamento. 

Vale lembrar que a Caixa fará uma avaliação criteriosa da renda do futuro comprador para saber se ele tem condições de arcar com o financiamento. Na regra, o valor de cada prestação não deve ser maior a 30% da renda mensal.

  1. Escolha do imóvel

Antes de ir ao banco buscar um financiamento, você deve ter em mente qual imóvel deseja comprar para ter uma ideia do valor da propriedade. 

Vale a pena, por exemplo, pesquisar em sites de imobiliárias para ver as opções disponíveis em sua região de interesse.

Não se esqueça de levar em conta o tamanho do imóvel, sua localização, os valores de taxa de condomínio e conservação do mesmo. Tudo isso interfere na escolha e no valor negociado na hora de fechar o negócio com o vendedor. 

  1. Faça uma simulação

O site da Caixa Econômica Federal, já pensando na grande procura por financiamento, disponibiliza um recurso em que os clientes conseguem fazer uma simulação e saber quanto terão que pagar mensalmente nas parcelas. 

O simulador também permite que o usuário informe a sua renda e se haverá alguma quantia dada como entrada. 

Na hora de financiar um imóvel pela Caixa, é importante considerar outras despesas, como o pagamento de tributos, documentação e os custos com o cartório. 

Além disso, é fundamental saber a soma do valor da parcela juntamente com gastos de IPTU, condomínio, contas de luz etc. 

Esse cuidado ajuda no planejamento financeiro da família e evita dores de cabeça no futuro por falta de pagamento das parcelas. 

  1. Documentação necessária e nome limpo

Depois de avaliar bem suas condições financeiras e escolher o imóvel para comprar, é hora de ver a documentação exigida pelo banco

É possível usar os recursos do FGTS para dar entrada no imóvel. O Fundo de Garantia também pode ser usado mais tarde, para amortizar a dívida. 

E lembre-se: quanto maior for o valor dado como entrada, melhores são as condições para financiamento. 

Uma dica importantíssima para conseguir o financiamento imobiliário é ter o nome limpo. Os bancos não costumam ceder crédito para pessoas incluídas nos serviços de proteção de crédito (Serasa, SPC etc.). 

Se este é o seu caso, a recomendação é procurar os credores em busca de uma negociação para regularizar as dívidas. 

  1. Conte com ajuda profissional para tirar dúvidas 

Para não errar em todo esse processo de obtenção do financiamento, o ideal contar com a ajuda de um corretor imobiliário de confiança ou de um advogado. 

Esses profissionais têm experiência nesse tipo de transação e podem auxiliar na obtenção do crédito de forma mais segura e rápida. 

  1. Avaliação do imóvel e aprovação

Depois de analisar a documentação do cliente, a Caixa terá um prazo para avaliar o imóvel. Nessa situação, serão analisados os documentos do vendedor e se a propriedade está dentro do que é permitido pelo financiamento da Caixa.

  1. Veja a lista de documentos exigidos pela Caixa para financiamento 

Comprador Pessoa Física

Documento de identidade

CPF

Comprovante de renda atualizado

Certidão conjunta de débitos de tributos federais

Certidão de nascimento ou de casamento

Comprador que vai utilizar o FGTS na compra

Última declaração do Imposto de Renda e recibo de entrega à Receita Federal

Carteira de Trabalho ou Extrato de FGTS

Extrato datado, carimbado, atualizado e original do FGTS, expedido por uma agência da Caixa Econômica Federal

Comprovante de residência dos últimos três meses

Cópia da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)

A pessoa casada deve apresentar a última declaração do IR do cônjuge

Comprador Pessoa Jurídica  

Contrato Social ou Estatuto Social original com todas as últimas alterações contratuais e estatutárias

Certidão Negativa de Débito do INSS

Certificado de Regularidade do FGTS (CRF)

Certidão de Quitação de Tributos Federais (CQTF)

Vendedor Pessoa Física

Documento oficial de identificação

Comprovante de estado civil

CPF

Certidão Conjunta de Débitos referentes aos tributos federais

Vendedor Pessoa Jurídica

Representante Legal: Documento oficial de identificação

Empresa Ltda. ou Firma Individual

Documento de constituição e alterações devidamente registradas e Certidão Simplificada da Junta Comercial;

Sociedade Anônima (S/A)

Estatuto Social e Ata de Eleição da última

Cópia da Certidão Negativa de Débito (CND)

Carta com assinatura reconhecida em cartório dos representantes da empresa

Documentos extras para a venda de imóvel novo

Registro de título de propriedade

Certidão negativa de ônus reais

Certidão negativa de IPTU

Registro de ações reipersecutórias e alienações

Registro de pagamento do TCA

Averbação da construção no Cartório de Registro de Imóveis

Alvará de utilização ou “Habite-se”

Planta baixa

Certidão enfitêutica

Opção de compra e venda preenchida

Anotação de Responsabilidade Técnica do engenheiro responsável pela obra.

Documentos extras para a venda de imóvel usado

Certidões negativas de débitos relativos ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU)

Certidão vintenária (20 anos) com negativa de ônus atualizada

No caso de residência em condomínio, certidão negativa de débito condominial

Título de propriedade registrado

Certidão negativa de ônus reais

Cópia do boleto com o pagamento da Taxa de Cadastro e Avaliação

Opção de compra e venda corretamente preenchida de forma legível, datada e assinada pelas partes do contrato

Caso o imóvel seja financiado por outro agente bancário, deve-se apresentar a declaração de saldo devedor para a nova instituição financiadora

No Certidão na Mão você pode emitir os documentos para financiamento imobiliário, sem burocracia e com o menor preço.

Deixe uma resposta